Depois do iPod, do iPhone e do iPad… o iSwatch?

Não, nada disso, mas foi o que pensei na primeira vez que ouvi falar do Ice Watch, um acessório que está super na moda aqui na França.

Caixinha do Ice Watch rosa. Fofo, né?

O Ice Watch é um reloginho de plástico muito estiloso que existe em várias cores e formatos. Ele vem numa caixinha que se encaixa como uma peça de Lego (ideal pra quem quer colecionar vários modelos) e está a venda em várias lojas como relojoarias ou nas Galeries Lafayette (também vi no freeshop do aeroporto do Rio) por volta de 80 euros.

Criado em 2007 por um empresário belga, o Ice Watch já virou mania na Europa toda (rolou até um jabá no último clip do David Guetta). Fica aí uma idéia de presente original pra quem curte estar na moda!

Confira o site para ver outros modelos: www.ice-watch.com

Link permanente para este artigo: http://www.viajarnafranca.com/2011/09/depois-do-ipod-do-iphone-e-do-ipad-o-iswatch/

Primeira edição da Fête de la Gastronomie acontece hoje

23 de setembro é o solstício de outono no hemisfério norte, e hoje foi o dia escolhido para a primeira edição da Fête de la Gastronomie. Esse evento é realizado nos moldes da popular Fête de la Musique que acontece há 30 anos no solstício de verão (21 de junho) em toda a França.

Na festa da música, músicos profissionais e amadores tocam de graça em qualquer lugar na rua. Na festa da gastronomia, todos são convidados a compartilhar o que sabem cozinhar. Além dessas ações espontâneas, também há degustações organizadas, visitas de lugares emblemáticos da gastronomia francesa, apresentação de produtos típicos e por aí vai!

A Fête de la Gastronomie foi criada para reunir as pessoas em torno de uma boa comida, e quem sabe uma boa oportunidade para encontrar os famosos chefs franceses que também saem nas ruas mostrando o que sabem fazer de melhor.

Neste ano não pude participar, como participo todo ano da festa da música (como público, claro), mas parece que a primeira edição foi um sucesso. Pra quem estiver planejando viajar pra França nesta época do ano que vem, é só conferir aqui o site do evento para mais informações.

Link permanente para este artigo: http://www.viajarnafranca.com/2011/09/fete-gastronomie/

Não sei pedir nem um Mc Donald’s…

Ensaiou trinta vezes a frase em francês, chegou na loja todo orgulhoso e perguntou ‘Combien ça coûte?’ só pra ouvir outra pergunta de volta ou uma resposta que não serviu pra nada porque não entendeu patavina? Não é lei de Murphy, isso acontece com todo mundo.

Pedir uma Coca-Cola é fácil, difícil é explicar se é light ou normal, grande ou pequena, com ou sem gelo, pra levar ou pra beber ali mesmo, se vai pagar com dinheiro ou cartão, e por aí vai. Isso sem falar na rodela de limão.

A solução é chegar já falando tudo pra não dar chance de te devolverem uma pergunta.

Vamos começar com o mais básico, pedir um lanche no Mc Donald’s. Tudo bem que não é o melhor exemplo de gastronomia francesa, mas tem pra todo lado em Paris (e em qualquer cidade de médio porte na França) e quebra o maior galho.

As promoções na França são chamadas ‘menu’. Se você quer um Big Mac com refri e batata frita, você vai dizer: – Un menu Big Mac. Certo? Sim, mas com sotaque de brasileiro eles não vão entender nada, ou então vão perguntar algo de volta.

Primeira etapa: Big Mac aqui se pronuncia como se escreve, ou seja, MAC como em MACarrão, não MEC como em MECânico.

No Mc Donald’s (ou ‘mac dô’ como chamam por aqui) francês há duas opções de batata: as frites, que são as batatas normais, e as potatoes (pronuncia-se potetôs), que são umas batatinhas fritas com casca cortadas em fatias largas e com um tempero um pouco apimentado bem gostosinho. Então para evitar a pergunta, fale logo de cara qual você quer.

Potatoes, uma outra opção de batata frita

A frase já aumentou para Un menu Big Mac avec potatoes. Falta o refrigerante, que é mais fácil, mas evite a gracinha de pedir guaraná Antarctica. Eles vão ter Coca-Cola, Sprite e Orangina (um refrigerante de laranja que aqui é mais popular que a Fanta). Detalhe: Coca-Cola aqui é masculino, então peça un Coca, e não une Coca.

O que vai dar: Un menu Big Mac avec potatoes et Coca Zero, s’il vous plaît.

Nesse estágio, as únicas perguntas que a atendente ainda pode fazer é se vai querer o menu grande ou normal, ou se é pra levar.

Menu com batata e refrigerante grande é chamado XL (pronuncia-se iks-él). Pra comer no lugar é sur place, pra levar à à emporter.

Com essas variantes, agora é só montar sua frase de acordo com seu pedido. Pode dar algo como:

Un menu Royal Cheese avec Orangina et frites à emporter, s’il vous plaît. ou Un menu XL Big Tasty avec potatoes et Coca… e por aí vai.

Lembre-se que em qualquer compra nesse tipo de lugar (padaria, fast-food, etc.) geralmente os atendentes na hora de fechar o pedido pergutam ‘Avec ceci?‘. Isso quer dizer algo como ‘será tudo?’. Se tiver esquecido de pedir algo, aproveite e peça. Senão, responda simplesmente ‘ce sera tout‘, pague o valor indicado, e bon appétit!

 

Link permanente para este artigo: http://www.viajarnafranca.com/2011/09/mcdonald/

Ir para Paris com os filhos – Parte I: o avião

Acabei de voltar da minha primeira viagem da França ao Brasil depois que tive meu filho Rafael, que está com 11 meses. Pesquisei bastante sobre como seria a viagem de avião e não consegui achar muita coisa, então agora que já vivi a tormenta, aqui vão alguns conselhos para facilitar essa maratona.

A primeira dica é ficar atento na hora de comprar as passagens de avião. Quando comprei as minhas, a passagem mais barata foi com a TAM, vôo noturno saindo de Paris com destino a Brasília e conexão em Guarulhos. Como passageiros coloquei 2 adultos e um bebê com menos de dois anos, o que era o caso. Passagens compradas, feliz da vida, paguei apenas uma pequena taxa para meu filho. Missão cumprida.

Foi só umas duas semanas antes da viagem que a ficha caiu, e que fui me perguntar: mas como meu filho vai viajar? O bebê tem um assento especial no avião? Confesso que apesar das minhas inúmeras viagens entre o Brasil e a França, nunca tinha prestado atenção em como os bebês eram acomodados, já que nunca tinha me interessado pelo assunto.

Foi aí que descobri que a taxa que pagamos à companhia aérea é só pra o bebê ter direito a viajar no seu colo, e olhe lá! E a inocente aqui achando que a TAM era super legal, poxa, como é barato a passagem pra um bebê!

A solução então é ligar para a companhia aérea antes da viagem e reservar um baby cot, que é um daqueles bercinhos que eles penduram na parede em frente à primeira fileira do avião.

Detalhe: na TAM, a primeira fileira e a fileira da saída de emergência são consideradas “assento conforto“. Ou seja, agora, se você quiser viajar nesses assentos, não adianta mais chegar no aeroporto 15 horas antes do embarque e fazer cara de cachorrinho carente na hora do check-in pra conseguir o lugar. Você vai ter que pagar algo como 60 euros para garantir a vaga.

A dica é reservar o bercinho com antecedência, porque só assim você pode garantir o lugar na primeira fileira e o baby cot pra você. Os aviões só têm espaço pra 3 bebês, e se você for o quarto, não adianta nem reclamar, vai viajar espremido lá atrás com o bebê no colo mesmo.

Outra coisa: muita gente diz que é possível colocar o bebê para dormir no chão do avião. Eu tentei e levei várias broncas dos comissários, então não conte com isso, porque eles não deixam mesmo, a não ser que você esconda muito bem.

Se o seu bebê já for grandinho como o meu, o bercinho ajuda mas ainda assim é difícil. A capacidade máxima do berço da TAM é de 11 kg (mas acho que isso pode variar em função da companhia), e ele não é muito grande. O Rafael estava no limite do peso e da altura, ficou meio espremido e não conseguia esticar as perninhas nem se virar pra mudar de posição.

 

Rafael tentando dormir no baby cot da TAM.

Em suma, para viajar para a França de avião com um bebê, lembre-se:

– Se quiser garantir um assento para seu filho e seu orçamento permitir, mesmo que ele tenha menos de dois anos, o jeito é dizer que ele é mais velho e pagar a tarifa para crianças (cerca de 75% do preço do adulto).

– Caso seu bebê  ainda seja pequeno, não esqueça de reservar com antecedência o baby cot, e garantir seu lugar na primeira fila do avião.

É possível ir com o carrinho do bebê até a entrada do avião, depois eles o recolhem e colocam  junto com as malas. Em certos vôos é possível pedir para a comissária para eles mandarem subir o carrinho pro avião antes de descer na chegada, mas isso depende do aeroporto. Senão o jeito é ir buscar na esteira junto com o resto das malas mesmo.

A TAM serve refeições para bebês (papinha salgada e de fruta, biscoito, iogurte, esse tipo de coisas) se você reservar com antecedência. Mas leve sempre algo com você, porque é claro que seu pimpolho vai resolver ter fome na hora mais imprópria. Não se preocupe com as restrições de líquidos para levar mamadeira, papinhas ou água. Eles não costumam amolar no controle do raio-x por causa disso.

Na decolagem e aterissagem, dê algo para a criança mastigar ou mamar, ou uma chupeta, para evitar dor no ouvido e o chororô inevitável que ela causa. Outra dica é levar soro fisiológico para colocar no nariz, dizem que a pressão no ouvido é maior quando o nariz está entupido.

Ofereça muita água, o ar do avião é frio e seco por causa do ar condicionado.

Leve muitos brinquedinhos ou coisinhas para distrair seu bebê, de preferência algo muito intrigante ou um brinquedo que ele nunca viu. Com o Rafael o que mais adiantou foi dar pedaços de pão pra ele mastigar (o que o ocupava por uns bons minutos, o problema é que depois de umas 5 baguetes o interesse já não era mais o mesmo) ou deixar brincar com meu telefone. Existem uns aplicativos bem legais pra quem tem iPhone ou iPad e isso os ocupa bastante.

– Finalmente, paciência! Seu bebê com certeza vai chorar uma hora ou outra, você provavelmente não vai dormir nada, mas pense positivo: a viagem demora, mas acaba. E não fique com vergonha se seu filho fizer um escândalo e acordar o avião inteiro. Todas as pessoas que estiverem te fuzilando com o olhar provavelmente não entendem porque nunca tiveram filhos, e as outras sabem que você está fazendo o máximo pra tentar acalmar a fera. E quantas vezes você já não foi incomodado pelo barulho dos outros? A pessoa na pior situação é você, e não os outros passageiros (acho pouco provável alguma mãe ou pai colocar um tapa ouvido e deixar a criança se virar sozinha)…

 

Link permanente para este artigo: http://www.viajarnafranca.com/2011/09/ir-para-paris-com-os-filhos-parte-i-o-aviao/

Paris é uma festa… e a França é uma viagem!

Bom dia, mundo!

Aqui começa meu blog, em que pretendo relatar um pouco minha experiência na França, colocar dicas úteis sobre viagens e compras, minhas observações sobre as particularidades culturais e a vida na França, a língua francesa… e tudo o mais que me passar pela cabeça.

Não deixem de comentar, fazer críticas, elogios ou sugestões!

A très bientôt!

Link permanente para este artigo: http://www.viajarnafranca.com/2011/09/paris-e-uma-festa-e-a-franca-e-uma-viagem/