Arquivo da categoria: Rhône-Alpes

20140103_131039

La Clusaz, estação de esqui nos Alpes franceses

La Clusaz (pronuncia-se lá cluzá) é uma estação de esqui que fica a mais ou menos 30 km de Annecy. Foi lá que decidimos ir passear dessa vez.

20140103_110321_1

Apesar de não saber esquiar (tenho até vontade de aprender mas morro de medo), gosto bastante de passear nas estações de esqui, só pra observar o pessoal esquiando e deixar o filhote brincar na neve.

20140103_114222

 

20140103_112921

Estava caindo bastante neve quando chegamos, mas logo depois o céu abriu e o dia ficou lindo.

20140103_131039

Gostei bastante de La Clusaz, que é uma cidadezinha bem típica mesmo, bem parecida com muitas outras que vi nos Alpes… com a diferença que não achei o lugar tão esnobe quanto outras estações.  Por exemplo, achei Megève lindo, mas saí de lá me achando pobríssima depois que vi que as “lojinhas” de lá vendem acessórios básicos como um par de luvas ou um cachecol que custam mais caro do que meu carro cujas prestações ainda vou pagar mais dois anos…

20140103_112439

Como brincar na neve dá uma fome danada, almoçamos numa pizzaria perto da pracinha central chamada Pizz’Avalanche. O lugar é minúsculo, portanto quem quiser tem que chegar cedo. O atendimento foi bem simpático, os preços são bons, a pizza estava muito gostosa  e pudemos apreciar a vista durante a refeição.

20140103_131527 20140103_121210

Uma dica: chegando de carro, logo depois da entrada da cidade chegando perto da pista de esqui tem um bom estacionamento coberto do lado esquerdo da rua surpreendentemente barato!  Não compensa de jeito nenhum ficar rodando pra procurar vaga na rua.

ANNECY: Novotel Annecy Centre Atria 4*

Estive de volta à Annecy agora no início de Janeiro, e fiquei no hotel Novotel Annecy Centre Atria pela segunda vez.

Foi lá que estivemos em 2011 quando viajei com a brasileirada toda pros Alpes franceses, e gostamos muito! Os quartos são limpos e espaçosos, e o preço é bem razoável pra qualidade do hotel.

 

PRÓS: Esse hotel é ideal pra quem está viajando com crianças ou com a família, pois os quartos têm um sofá cama de dois lugares e podem acolher até 4 pessoas!

Logo ao lado do hotel tem um shopping com algumas opções de loja como a Fnac e a H&M e um cinema bem legal, pra quem quiser se esconder do frio assistindo um filme… Só tem que entender um pouco de francês, pois aqui na França os filmes são todos dublados!

Eu tinha certeza que já tinha publicado sobre esse hotel na primeira vez que estive lá, por isso dessa vez nem tirei fotos… mas vocês podem conferir as fotos no site do Booking. Acho que elas são meio antigas (no meu quarto tinha TV LCD e nas fotos ainda é a das antigas) mas estão bem condizentes com o que eu vi.

Essa foto não é minha. Só tô dizendo.
Essa foto não é minha. Só tô dizendo. Mas o hotel é isso aí mesmo.

Recomendo bastante esse hotel pois a localização é muito boa tanto pra quem vai de trem quanto pra quem vai de carro. O Novotel fica logo ao lado da estação de trem, e tem estacionamento coberto (14€ por dia) pra quem vai motorizado. Ele fica bem pertinho do centro, então você pode deixar o carro na garagem e fazer todos os passeios a pé sem problema!

CONTRAS: apesar de estar em Annecy, pode esquecer a vista pros picos nevados (né mãe ;)). Das duas vezes que eu fui lá, ao abrir a janela o que eu via era mesmo só a estação e os trilhos de trem…

 

Novotel Annecy Centre Atria ****

1, place Marie Curie
74000 Annecy

 

DSC06152

Lyon: Paul Bocuse por menos de 10 euros

Quem nunca ouviu falar de Paul Bocuse que atire o primeiro escargot.

Ele é simplesmente o maior chef de cuisine francês de todos os tempos. Um verdadeiro mito. Aposto até que se ele fosse no programa do Faustão, seria chamado de “monstro sagrado” ô loco, meu!

Ainda está nos meus planos ir a um dos famosos restaurantes dele em Lyon. Mas aí é que está o problema: ainda não ganhei na loteria. Enquanto esse dia tão esperado não chega (e vai demorar, porque sem jogar está sendo difícil…) uma opção mais em conta pra voltar de viagem me achando e falar pra todo mundo que eu fui chez Bocuse, é o Ouest Express, ou “Mc Bocuse”, como os franceses apelidaram carinhosamente.

Na verdade, o Ouest Express é um fast food aprimorado, cuja intenção é servir hambúrguer com batata frita (além de outras opções: saladas, sopas, patisseries) feitos com ingredientes de qualidade e de maneira mais refinada.

Como chegamos em Lyon de TGV na estação Part-Dieu e meu chéri apesar de ser francês é chegado mesmo é num hambúrguer, fomos lá pra almoçar. Um dos Ouest Express fica no shopping chamado Centre Commercial La Part-Dieu, do outro lado da rua em frente à estação de trem. Mas atenção, ele não fica dentro do shopping, mas num terraço exterior do piso superior.

O interessante é que quem não sabe que o Mc Bocuse existe, não adivinha nunca. Primeiro porque como ele está isolado das lojas, só passeando pelo shopping você não arrisca encontrá-lo por acaso. E segundo porque mesmo se encontrar, não tem como saber que é o Bocuse que manda na parada, já que em lugar nenhum tem um boneco do Bocuse no lugar do Ronald…

 

 

Chegamos cedo e pegamos o lugar ainda  bem vazio. O restaurante é bem agradável, com decoração moderna. O hambúrguer realmente estava delicioso! Não era aquela coisa gordurosa e salgada cheia de molho “trans”. Era carne de verdade, com salada de verdade, tudo muito gostoso mesmo.

O "menu" com hambúrguer, batata frita e uma bebida sai por volta de 10€; um pouco mais caro do que um Mc Donald's, mas não é o preço de um copo d'água no Bocuse de verdade...

 

PS: No site indicam que tem outro Ouest Express em Lyon, mas no 9º arrondissement (Vaise).

 

Nossa varanda privativa

LYON: Hotel Bayard Bellecour 2*

Estive nesse fim de semana em Lyon, dando uma voltinha pra escapar do frio. Como já estive lá trocentas vezes, o passeio foi mesmo só um “rolê” básico. Depois conto o que fiz por lá. Aqui quero deixar a dica do hotel em que ficamos, o Hôtel Bayard Bellecour**.

Geralmente sempre prefiro ficar em hotéis de rede como Mercure e Novotel para evitar más surpresas. Só que desta vez, achamos um preço legal nesse hotel independente (79€ a diária em quarto duplo) e resolvemos arriscar.

O hotel

O hotel é digamos assim… antigo. Mas os hotéis que ficam bem no centro da cidade geralmente são assim mesmo. O ponto mais positivo desse hotel é sem dúvida a localização! Ele não poderia ser melhor localizado: bem na Place Bellecour, uma das mais maiores e mais bonitas de Lyon, de onde dá pra ver a basílica Notre-Dame de Fourvière lá no alto do morro.

O hotel fica bem localizado, na Place Bellecour
Fachada do Hotel Bayard, que fica em cima de uma galeria de arte

 

A vantagem é que essa praça além de ser linda, ela é um dos principais pontos turísticos de Lyon e super bem localizada, com estações de metrô e pontos de ônibus, sem falar que a partir de lá dá pra fazer tudo a pé.

Outra coisa: esse hotel possui quartos pra família que acomodam até 5 pessoas, portanto uma boa opção pra quem está viajando com crianças!

Chegando ao hotel você tem que subir algumas escadas, porque a recepção não fica logo na entrada. Ou seja, não tem elevador! Mas as escadas também não são muitas.

Sigam-me os bons!

 

Café da manhã

Não tomamos café da manhã no hotel (quase nunca pegamos café em hotel porque acho que sempre é caro demais pro que é; nesse caso 12€), porque queríamos ir na nossa padaria preferida no Vieux Lyon. Depois dou o endereço! ;)

 

O quarto

Vi as fotos quando reservamos no Booking.com  uns quartos todos bonitos e fiquei toda animada. Só que acho que nem todos foram reformados, e o quarto em que ficamos (n. 12), que era da categoria mais barata, era bem velho mesmo.

Apesar disso, o quarto era relativamente grande, e a cama era confortável.

O banheiro é que era bem velho, daqueles de azulejo cor-de-rosa da casa da vovó Mafalda…

É véi mas é limpim

 

Mas a vantagem desse tipo de hotel mais velho é que às vezes também temos boas surpresas. Do outro lado atravessando nosso quarto tinha outra porta que levava a uma varanda privativa fechada que dava num pátio interior, muito charmosa!

Nossa varanda privativa

 

No fim das contas, gostei bastante do hotel. Dormimos muito bem, sem nenhum barulho. A cama era confortável, o pessoal simpático e falava inglês (coisa rara!), e principalmente a localização era fantástica! Eu com certeza ficaria lá de novo. Fica aí a dica pra quem quiser! :)

 

Hôtel Bayard Bellecour Lyon **
23 Place Bellecour 
69002 LYON

 

Passeio no Mer de Glace, o mar de gelo em Chamonix

J’ai honte. Estou com vergonha. A primavera já está chegando e até hoje não postei quase nada sobre os passeios que fizemos no inverno :oops:

E olha que antes de viajar eu estava jurando que ia levar meu notebook na viagem e publicar diariamente as atividades das férias. Ah-am. A correria foi tanta que nem foto lembrei de tirar direito.

Enfim, antes que eu me esqueça de tudo, aqui vão algumas fotos e o relato obre nosso passeio em Chamonix, nos Alpes.

Chamonix é uma cidadezinha muito famosa pela sua estação de ski. Como não sei esquiar direito e viajamos com minha família que estava vendo a neve pela primeira vez, esquiar não fez parte dos nossos planos. Mesmo assim, Chamonix foi uma parada bem legal no nosso roteiro, pois é lá que é possível fazer uma passeio super original: a subida de trenzinho para ir no Mer de Glace (mar de gelo).

Acho que meu povo nunca vai esquecer esse passeio. Pra começar, a estrada pra chegar até lá é linda!! Depois acho que vou fazer um post só sobre isso. E foi a primeira vez que eles viram neve de verdade.

Chegando na cidade, paramos no estacionamento pago logo ao lado da estação de trem. Nem adianta ficar rodando no centro da cidade, porque com as ruazinhas minúsculas cobertas de neve a tarefa de encontrar uma vaga é missão quase impossível.

E foi bem ali no estacionamento mesmo que a galera aproveitou pra se jogar na neve. Pisaram, apertaram, fizeram bolinha, lamberam, chutaram… Sabe quando a gente era criança e escrevia “lave-me” na poeira dos vidros dos carros? Acho que algum compatriota não perdeu o hábito até hoje, pois estacionamos ao lado de um carro que tinha escrito BRASIL na neve. Realmente mais apropriado do que “lave-me” neste caso ;)

Passadas as primeiras emoções, fomos logo para a estação pegar o trem que sobe até o Mer de Glace. O passeio custa 26€ por pessoa e inclui a ida e volta de trem, a entrada no museu, o teleférico e a entrada na casa de gelo. A dica pra quem estiver viajando em família, mesmo se todos forem adultos, é pedir o “forfait famille”, que sai por 78€ para 4 pessoas.

Apesar da vendedora ter avisado que a visibilidade estava zero por causa da neblina lá em cima, decidimos ir mesmo assim. Nesse passeio o chéri e o bébé ficaram para trás passeando na cidade: é impossível fazer isso com criança pequena, e vocês logo vão entender por quê.

Também nem queria ir! Me diverti muito mais aqui viu. Humpf.

 

Entramos no trenzinho e aventura já começou ali mesmo. Lá fomos nós, enfrentando uma subida super íngreme pelas encostas da montanha que durou uns 20 minutos debaixo da neve, entre pinheiros de um lado e um abismo de vários metros logo ao lado dos trilhos do trem de outro. Quando atingimos 1913m de altitude, descemos na estação de Montenvers-Mer de Glace.

Detalhe: chegando lá em cima, não joge seu ticket fora, você vai precisar dele pra pegar o trem de volta!

Nos dias normais é possível ver o Mar de Gelo lá de cima. Quando fomos a neblina não deixou a gente ver nada a mais de uns 10m de distância… o que na verdade foi algo muito positivo na hora de motivar o pessoal pra descer os 400 degraus que levam até o Mer de Glace. “Não dá pra ver, gente, mas é bem ali pertinho…”

Antes de encarar os degraus, pegamos um teleférico para já descer alguns metros.

O Mer de Glace na verdade é uma geleira situada num pequeno vale no alto dos Alpes. É realmente algo muito interessante que vale a pena ver! Todo inverno eles esculpem uma caverna no gelo como se fosse uma casa de verdade, com cama, mesa, bar… tudo de gelo. É ultra kitsch mas é um barato.

Aproveite bem o passeio na casa de gelo, pois se a descida dos 400 degraus é só alegria… na subida a coisa é diferente! Fique também atento aos horários de retorno do trem: ele desce de volta pra Chamonix a cada hora, portanto calcule bem o tempo que você vai levar pra visitar e subir tudo de volta. Nós acabamos tendo que correr e nem visitamos o museu pra poder descer a tempo de almoçar.

Depois desse passeio, voltamos ao centro da cidade para dar uma volta, almoçamos no Mc Dô mesmo pra ir mais rápido e seguimos para a segunda parte do nosso passeio, que vou contar no próximo post: Megève!

 

Imagens da Fête des Lumières de Lyon

Gente, não acredito que meu último post foi há 10 dias!! Como o tempo voa quando a gente está ocupada, não é mesmo? O pior é que tive mil idéias de assuntos pra blogar e acabei não achando tempo pra nada.

Enfim, hoje pelo menos vou colocar algumas fotos da Fête des Lumières de Lyon deste ano. Meus sogros estiveram lá e curtiram bastante, a vantagem sendo que pra gente (ou até pra quem está em Paris) dá pra fazer o passeio num dia só (a viagem dura 2 horas). Apesar disso eu acho que vale muito a pena passar mais alguns dias lá pra ver o resto das coisas, pois Lyon é uma cidade muito legal.

A Fête des Lumières, ou festa das luzes, acontece todo ano em Lyon no dia 8 de dezembro durante 4 dias e é uma tradição que existe desde 1852, ano em que uma imagem da Virgem foi inaugurada depois de muitos contratempos na colina de Fourvière, onde fica a basílica de Lyon.

De acordo com as informações dos meus sogros, a cidade estava muito bonita mas a experiência foi menos impressionante do que o esperado. Depois de ficar horas rodando pra achar uma vaga (todos os estacionamentos públicos e pagos estavam lotados) eles seguiram um percurso sugerido de 5 km a pé pelas principais praças da cidade. Os monumentos estavam todos  iluminados, com jogos de luz e telões animados,  mas neste ano os habitantes não contribuíram muito com a festa. Normalmente as pessoas colocam velas ou luzes nas janelas das casas, o que deixa um ambiente lindo por todas as ruas, mas parece que a crise econômica na zona do Euro afetou o orçamento previsto em 2011 pelas famílias francesas para velas e fósforos.*

Mesmo sem muita participação popular, esse é o tipo de programa que me agrada muito. Um dos aspectos positivos do inverno é que, assim como na televisão, tudo fica mais bonito com uma boa iluminação.

*Dado sem nenhum fundamento científico, mas achei que esse chute foi bem legal. Se a CNN pode, por que eu não posso?

 

destaque-alpes

Roteiro de viagem nos Alpes franceses

O inverno é uma época ótima para viajar, basta não ter medo do frio e escolher o destino certo para poder aproveitar.

Este roteiro de viagem nos Alpes franceses eu já fiz com meu chéri há uns anos atrás e vamos fazer de novo com a família toda do Brasil neste inverno. Conte entre 3 a 5 dias para esta viagem.

Saímos de Dijon de carro pela manhã com destino a Annecy, capital do département Haute-Savoie nos Alpes franceses (região Rhône-Alpes). São 280 km de distância e pela auto estrada é bem rápido, apenas 2 horas e meia de viagem.

Annecy é uma cidade linda, e como é pertinho daqui costumamos ir muito lá. Também acho que é a melhor cidade pra servir de base pra um roteiro nos Alpes, pois além de ter outros atrativos do que só as montanhas e ser bem localizada, a hospedagem em Annecy sai mais em conta do que nas outras cidades dos Alpes. Mas claro que se seu objetivo é esquiar, o melhor é ficar numa cidade bem no pé da pista de esqui mesmo.

 

O parque e o lago de Annecy

 

O ideal é ficar em Annecy pelo menos uns dois dias.

 

Hôtel Imperial Palace, que também é cassino em Annecy

 

O famoso Palais de l'Isle de Annecy

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Annecy é uma das poucas cidades na França que tem um cassino, pra quem gosta disso. Eu como já tenho sorte no amor, nem tento…

 

Depois de Annecy, seguimos até Megève. A partir de aqui, prepare-se para ver neve, MUITA neve! Aconselho até alugar um carro adequado, com tração nas 4 rodas, pneus de neve ou corrente nos pneus para não passar apuro nas estradas.

São 60 km de viagem mais lenta pois a cidade já está bem mais no alto das montanhas. Megève é uma típica cidade alpina bem pequena (parece a vila do Papai Noel!), com menos de 5000 habitantes, cheia de chalés de madeira e uma vista do Mont Blanc de tirar o fôlego. Mas a cidade é tão pequena quanto charmosa… e cara!

 

Praça de Megève com a mítica e carésima Boutique Allard
Megève vista do chalé onde ficamos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Megève é um dos lugares preferidos para as férias de inverno dos ricos e famosos que gostam de esquiar.

Quem entende de esqui (acho que já deu pra perceber que não é o meu caso) diz que pistas de esqui do Mont d’Arbois são fantásticas. Vale muito a pena passar pelo menos um dia em Megève mesmo sem esquiar, mas se não estiver disposto a pagar pelo menos uns 300€ por uma diária de hotel, siga adiante no fim do dia até a próxima parada do roteiro: Chamonix.

Chamonix Mont-Blanc, ou apenas Chamonix, fica a 35 km de Megève e é a cidade mais famosa deste roteiro, justamente pelo fato de ter Mont Blanc no nome. Mas sabem o quê? Eu acho a menos charmosa. Deve ser porque não esquio, ou porque quando fui o tempo estava cinzento e tristonho, mas em comparação com as outras foi a que eu menos gostei. A vantagem é que Chamonix é uma opção mais viável do que Megève, onde tudo custa os olhos da cara, tanto para se hospedar quanto para esquiar,

 

Centro de Chamonix

 

Apesar disso, vale a visita só pelo passeio de trem que vai te levar até a Mer de Glace (mar de gelo) que é a maior  geleira da França. O passeio de trem é lindo, você vai subindo pelas encostas até chegar a quase 2.000m de altitude, daí desce de teleférico ou de escada até uma gruta em que tudo é esculpido no gelo. Algo bastante curioso.

 

Descida para o mar de gelo, ou Mer de Glace
Trem que leva para o Mer de Glace