Arquivo da categoria: Passeios e atrações

20140125_174118

Bercy Village, um shopping a céu aberto em Paris

O Bercy Village é um shopping a céu aberto bem simpático localizado no 12º arrondissement de Paris (metrô 14 estação Cour Saint Émilion).

Essa é uma área de Paris que eu gosto bastante, pois é bastante residencial e relativamente tranquila. Já fiquei em dois hotéis lá por perto, o Ibis Styles (10 min a pé) e o Kyriad (logo ao lado).

As lojas e restaurantes do Bercy Village foram construídos dentro de antigos galpões onde eram estocados os barris de vinho, que depois eram despachados para transporte (por isso os trilhos que ficam no meio da rua). Pra não escapar à regra de Paris, o Bercy Village também é considerado patrimônio histórico!

20140125_173814 20140125_173850

O Bercy Village tem várias lojas e alguns restaurantes legais, além de um cinema bem grande.

Gosto bastante da loja Alice Délice (artigos culinários) e da Arteum (decoração) e também uma Fnac.  Mas a maior mão na roda é o mercadinho Daily Monop’ onde eu costumo ir comprar o típico pão com queijo pra fazer uma das coisas que eu prefiro quando viajo: lanche farofada no hotel! (A dica lá é não comprar os produtos que estão logo na entrada, mas descer no supermercado do subsolo onde você vai encontrar muito mais coisas e mais baratas do que as que estão perto da porta.)

20140125_175702 20140125_175922

20140125_173935 20140125_174118

Passear lá é bem agradável, e também vale a pena dar uma passada no parque que fica logo ao lado. Acho que é um dos poucos lugares em Paris onde ainda tem mais parisiense do que turista. Gosto muito de observar as famílias que moram por ali passeando com as crianças com as bicicletinhas, brincando no parque… é super relaxante :)

Bares e restaurantes brasileiros em Paris

Quando viajo sempre faço questão de aproveitar ao máximo tudo o que existe de mais diferente de um lugar. Obviamente, na minha primeira viagem pra França, não passei um dia sem experimentar uma iguaria nova: escargot, queijos fedidos, vinhos de todos os tipos, até coxinha de rã eu encarei.

Minha primeira experiência francesa durou um mês no verão de 2002, quando ainda era estudante e ganhei uma bolsa – ou melhor, uma viagem de descoberta da França financiada pelo governo francês. Sim, isso existe (ou pelo menos existia na época). O governo francês pagou um mês de viagem, com hospedagem, comida e transporte pra mim só porque eu era uma bonne élève de francês na faculdade.

(Vamos combinar que no meu caso foi um bom investimento, porque agora estou fazendo a maior propaganda – e de graça! – pra França :lol:).

Enfim, eu e outros estudantes do mundo inteiro passamos um mês aprendendo tudo sobre a cultura de uma região francesa (no meu caso a Bourgogne, onde vivo hoje). Enquanto eu estava lá curtindo minha tartine d’époisses no Château de Pierre de Bresse e já achando que um mês era pouco pra experimentar tudo o que eu ainda queria comer, no meu grupo havia 2 estudantes mineiras que estavam dispostas a vender a própria mãe por um prato de arroz com feijão.

Se você é desse tipo menos aventureiro, ou se já passou um mês rodando pela Europa comendo comida esquisita e está seco por um restaurante self-service com arroz e feijão tropeiro no quilo, enjoou do Bordeaux e quer mesmo é um guaraná, ou não aguenta mais os uh la lás da francesada e quer ouvir um pouco alguma coisa que você consegue entender, aqui vão alguns endereços de bares e restaurantes brasileiros em Paris e arredores que podem te ajudar a matar – um pouco – a saudade de casa. Porque acho que todo mundo concorda que não existe mesmo feijão melhor que o da mãe da gente…

 

Favela Chic
18 rue du Faubourg du Temple 75011

Barracão
108 rue Oberkampf 75011

Délices du Brésil
144 av. Maurice Berteaux, 78500 (Sartrouville)

Gabriela
3 rue Milton 75009

Carajas
24 rue Trois Frères 75018

Terra Samba
6 passage Thière 75011

Chez Uai
110 rue Véron 94140 (Alfortville)

Botequim brasileiro
1 rue Berthollet 75005

Alegria Brasil (Marché couvert)
85bis bd de Magenta 75010

O Corcovado
152 rue du Château 75014

O Corcovado Marais
7 rue Simon le Franc 75004

Réveil Matin
22 av Jean-Jaurès 91230 (Montgeron)

Palace Brasil – Chez Jair
45 route de Corbeil 91390

Monde du Brésil
14 rue des fonds verts 75012

 

 

 

Imagens da primavera em Paris

Estive em Paris na semana passada para resolver umas burocracias no Consulado-Geral do Brasil, e obviamente aproveitei pra dar uma passeada.

As temperaturas aqui na França já começaram a ficar bem agradáveis, por volta de 18 a 20 graus. As flores e as árvores ainda não começaram a brotar de verdade, mas esse tempo pra mim já é o ideal para passear: nem calor nem frio demais. Quem estiver planejando vir pra cá, aproveite! Só não sei até quando vai durar, pois apesar da primavera já ter começado oficialmente, até meados de Abril ainda é possível gelar. On croise les doigts pour que ça dure! ;)

Fiquem com algumas imagens de Paris na última semana:

Loja da Louis Vuitton no Champs Elysées.

Sim, eu <3 Paris!!                                                                                       Consulado-Geral do Brasil.

Boutique La Durée, que vende os macarons mais prestigiosos de Paris, também no Champs-Elysées.

A estação Franklin D. Roosevelt foi reformada com a automatização da linha 1. Ficou toda modernosa!

É só esquentar um pouquinho que o pessoal já lota os terraços dos cafés. Esse aqui fica no Marais.


 

Cobacana: uma empresa que resolve tudo pra você em Paris

*COF, COF* Lá vou eu tirando a poeira do blog… o pobrezinho estava meio às moscas nesses últimos dias, mas não se preocupem, não o abandonei! Estive (e ainda estou) ocupadíssima com meus novos alunos, dando aulas intensivas de inglês durante as férias escolares. Enquanto uns viajam, eu trabalho… c’est la vie!

Mas como este blog é feito para os sortudos que viajam, mas que andam tão ocupados quanto eu, vamos falar do que interessa: alguém que vai resolver todos seus problemas em Paris.

Esta pessoa é minha amiga da época da faculdade Maria Fernanda, carioca radicada em Paris que acabou de criar a Cobacana, uma empresa especializada em fazer tudo o que você não sabe ou não quer ter o trabalho de fazer.

Se precisar de alguém para carregar suas sacolas de compras, para descolar uma balada legal, organizar um evento ou passeio especial, encontrar uma babá, um curso de culinária ou de gastronomia… é só falar que ela toma conta de tudo pra você.

Vale a pena dar uma olhada no site da Cobacana: www.cobacana.com. É só dizer que vieram por indicação minha para receber um atendimento preferencial! :)

 

As melhores e piores datas para visitar a Disneyland Paris em 2012

Planejando aproveitar a viagem a Paris para conhecer a Euro Disney e querendo saber qual a melhor data?

O parquepublica anualmente um calendário de previsão das datas mais cheias. Procure evitar esses dias pois o parque certamente estará lotado! Confira no quadro os períodos de alto e baixo movimento.   Em 2012 as piores datas serão:

Janeiro: dia 1º
Março
: 3, 4, 10, 11, 17, 18, 24, 25 e 31
Abril
: 1, 7, 8, 9, 29 e 30
Maio
: 17, 18, 19, 26 e 27
Junho
: 2, 3, 9, 16, 23 e 30
Julho
: 1, 7 e 8
Setembro
: 1, 2, 8, 9, 15, 16, 22, 23, 29 e 30
Outubro
: 26, 27, 28 e 31
Novembro
: 1, 2, 3, 4, 10, 17 e 24
Dezembro: 1, 2, 3, 4, 8, 9, 10, 17, 24, 29, 30 e 31
 

museu carnavalet

Museu Carnavalet em Paris

Ano novo, blog novo.

Tá, não tem nada de novo. Mas estou retomando oficialmente as atividades blogueiras, depois de uma pausa bem merecida para curtir a família. Foram alguns dias de muita correria, outros só ficando de bobeira, mas todos ótimos, aproveitando cada minuto.

Ontem acompanhei meus pais, os últimos que ainda estavam aqui, para tomar o avião de volta (snif!) em Paris. Chegamos na Gare de Lyon, descemos correndo do TGV e a van da Super Shuttle já estava esperando para levá-los pro aeroporto de Orly. Não pude ir até o aeroporto com eles pois o horário do trem de volta para Dijon não batia. Então lá se foram meus véios, e eu fiquei lá em pé na frente da Gare de Lyon, com cara de tacho e tempo de sobra pra chorar antes de voltar.

Achei que ficar chorando durante duas horas na estação de trem seria deprimente demais, então decidi dar uma volta por Paris antes de voltar pra casa.

Sabe a Adele no clipe de “Someone like you?”. Bem isso mesmo. Já que é pra ficar na fossa, pelo menos que seja perambulando por Paris.

Entrei no metrô sem saber exatamente pra onde ia, pulei no primeiro que passou e resolvi descer na estação Saint Paul, no Marais.

Chegando lá, fui andando pelas ruas em que estive na última vez que fui em Paris, olhando as lojinhas (sem comprar nada, claro, já que os Soldes d’hiver, as promoções do inverno, começam nesta quarta-feira!) e lembrei do Musée Carnavalet, que tinha visto por fora e prometido que visitaria assim que possível. O tempo era pouco mas decidi entrar assim mesmo.

O Musée Carnavalet tem como tema a história da cidade de Paris. Foi nesse momento que me arrependi de não ter trazido pra ler no trem um dos presentes que ganhei de Natal, o livro Métronome de Lorant Deutsh, que cairia como uma luva para a ocasião.

Primeira boa surpresa: a entrada no Musée Carnavalet é grátis! Melhor assim, já que não tinha muito tempo mesmo, pelo menos não fiquei com dó de gastar pra fazer uma visita corrida. Pelo que vi, um áudio guia custa 5€ e a entrada na exposição temporária também é paga.

Segunda boa surpresa: o museu é lindo, e não parece, mas é enorme! Ele fica dentro de dois palacetes, ou hôtel particulier, interligados por uma passarela que abriga uma galeria de quadros, e cercados por belos jardins.

Só o palacete em si já vale a visita. Li que o hôtel Carnavalet é um dos mais bonitos de Paris, e em alguns momentos tive a impressão de estar dentro de uma miniatura de Versalhes: salas que saem dentro de salas, cada uma mais suntuosa do que a outra. E dá-lhe espelho, pintura, candelabro, esculturas, tudo com ouro, muito ouro. Com a vantagem de além de ter a beleza do lugar, as coleções são muito interessantes.

Infelizmente, duas alas inteiras do museu estavam fechadas quando eu visitei. Não pude ver a parte sobre a pré-história de Paris, nem as salas de Luís XVI. Mesmo assim, achei interessantíssima a parte dedicada à Revolução Francesa e as reconstituições de quartos de personagens franceses como Marcel Proust, com os móveis que  pertenceram a eles de verdade.

Mas minha parte preferida foi a “Galerie des Enseignes”, a primeira do museu, em que é possível ver pôsteres e painéis de lojas antigas:

Único ponto negativo do museu Carnavalet : a visita não é por ordem cronológica e nem muito lógica, e às vezes você tem a impressão de estar meio perdido nas subidas e descidas de escadas e nas curvas dos corredores. Como o museu estava meio vazio e a sinalização não era lá essas coisas, tinha hora que era difícil saber se estava indo pra outra exposição ou a caminho do banheiro…

 

temple de la sybille

Parque des Buttes Chaumont em Paris

A história da torre Eiffel que foi construída pra exposição universal de 1889 todo mundo já conhece. Só que tem outro lugar menos conhecido de Paris que também foi feito especialmente para uma exposição universal, ainda mais antiga, em 1867: o Parc des Buttes Chaumont.

Este parque é situado numa colina íngreme, e oferece uma linda vista da cidade. Bem ao longe, do ponto mais alto do parque, no temple de la Sybille (uma réplica do templo romano de Tivoli, na foto acima) pode-se ver o Sacré-Coeur no horizonte.

Dá pra ver o Sacré Coeur no horizonte. Num dia ensolarado, melhor ainda!

Este com certeza não é o parque mais conhecido de Paris, mas sem dúvida é o mais original. Aqui se tem a impressão de não estar mais no meio da cidade: ao contrário da maioria dos parques parisienses que são planos e simétricos, o Buttes Chaumont tem um aspecto mais selvagem, com cascata, rio, gruta… só que tudo artificial. Também era querer demais, né?

O parque era um local de extração de gipsita na época dos romanos. A gruta que existe atualmente tem stalactites falsas, que são apenas decorativas, mas era a entrada de uma verdadeira mina subterrânea.

O parque des Buttes Chaumont também é considerado o mais romântico de Paris, e por isso atrai muitos noivos que vão se casar ou tirar fotos lá. E não é que no dia que a gente foi, apesar de estar frio e nublado, em pleno inverno em janeiro, tinha gente se casando? Tinha até uma limousine branca na entrada. Na temporada os casais são tantos que ficam se acotovelando e disputando os melhores lugares pras fotos. Quem quiser conferir o estilo das noivas francesas, é só ir lá sábado de manhã.

 

Parc des Buttes Chaumont
75019 PARIS
Metrô: Buttes Chaumont (para chegar na parte baixa do parque) ou Laumière (você tem que andar um pouco até chegar no parque, mas a vantagem é que já chega em cima e evita subir o morro).