«

»

Imprimir Post

A arte de fazer pique-nique na França, ou os melhores itens para sua farofê

Uma bela farofê. Só faltou a melancia e a farofa Yoki.

Um das coisas que curto fazer quando viajo é farofar. Não só de restaurante gastronômico é feita uma viagem. Claro que adoro ir a bons restaurantes, mas acho que fazer uma farofada tem seu charme. É o prazer da descoberta dos produtos, de procurar algo interessante no mercado, de viver por um momento como uma pessoa que vive ali.

Enfim, adoro ir ao supermercado nos lugares que não conheço, principalmente em países diferentes. Acho uma experiência reveladora sobre os hábitos alimentares e de vida de um povo. Acho super interessante ver como traduzem Omo em várias línguas, que tipo de pasta de dente existe, os refrigerantes diferentes, esse tipo de coisa.

Se você é como eu, vai adorar fazer farofa na França. Acho que aqui é um dos países que oferece a melhor variedade de produtos farofeiros que existe. Aí também é que está a dificuldade: como saber qual queijo é bom, que tipo de presunto comprar, qual sobremesa escolher em meio a tanta variedade?

Aqui vão algumas dicas de produtos bons para montar sua farofê. Farofê é como eu batizei o pique-nique que costumamos fazer. Claro que não é farofa no sentido próprio da palavra, mas algo muito mais chic, mon cher.

Primeiro ponto importantíssimo: o pão. O pão é parte indispensável de qualquer refeição francesa, incluindo a farofê. Passe primeiro numa boulangerie e compre uma boa baguette. Se for boa mesmo, qualquer coisa que você colocar dentro já vai ser gostoso.

Depois,vá a um Monoprix ou algo semelhante e escolha alguns produtos que combinam bem. Aqui estou indicando produtos e marcas fáceis de encontrar em qualquer supermercado, de qualquer cidade. Se tiver a ocasião, sempre prefira uma feira ou mercado de verdade e os produtos que vem de lá!

1. Sanduíche de salmão defumado com Boursin. Procure por “saumon fumé de Norvège“, que é o melhor. As fatias finas vêm numa embalagem chata de papelão e plástico. A melhor marca é a Norge, mas pode até ser de marca genérica mesmo. Combina muito bem com o queijo Boursin Ail & Fines Herbes, que é como um cream cheese bom pra espalhar na baguette. Se não gosta de alho, compre o Boursin normal mesmo.

 

 

2. Sanduíche de saucisson, beurre e cornichon. Este é um sanduíche tradicional da França, o must de quem tá querendo estourar a taxa de colesterol. Salame, manteiga e picles. Pode parecer redundante saucisson e manteiga no pão, mas não é. Se não tiver manteiga, fica seco (e light) demais. Recomendo o saucisson da marca Cochonou. A melhor manteiga é a que for da Bretagne ou Normandie, mas escolha sempre a que for “demi-sel”, que tem uma ligeira pitadinha de sal. A manteiga “doux” é totalmente sem sal e sem graça. Os cornichons, ou mini pepininhos tipo picles em conserva que eu prefiro são da marca Amora. Aqui vai ser preciso uma faca boa, já que o saucisson seco não vem fatiado. Uma variante que pode ser encontrada já fatiada é a Rosette de Lyon, que tem fatias mais largas e mais molhadinhas, mas geralmente também mais gordurosas.

3. Sanduíche de jambon-fromage. O clássico presunto com queijo. Em meio a tanto queijo diferente, é irônico ser difícil encontrar uma simples mussarela fatiada. É que os franceses tem uma cultura e um modo de comer queijo totalmente diferente do nosso. Ainda assim, é possível encontrar queijos fatiados tipo Emmental ou Gruyère. Mozarella aqui só a de búfala mesmo, que vem em bolinha boiando dentro de um saquinho de água. O presunto também é outra história: aqui ele é vendido por fatia. Isso mesmo, você compra 2, 4 ou 6 fatias de presunto. Mas nada daquela matéria gelatinosa quadrada indefinida que existe aí no Brasil. Na França o presunto é um pedaço de pernil mesmo, portanto a fatia é grande e oval. Claro que a carne é um pouco processada, mas nada que se compare à gelatina pseudo-carne melequenta da Sadia. Minhas marcas preferidas são Fleury Michon e Herta. Os jambons feitos “à la broche” são os mais saborosos na minha opinião, porque têm um gostinho de defumado. Procure “jambon sans couenne” para evitar a camada de gordura e não se deixe enganar com o nome “jambon de Paris“. O presunto ser de Paris não é vantagem nenhuma, na verdade é o tipo mais simples de presunto.

 4. Salada semi-pronta. Se quiser ser mais light, uma salada é uma boa opção. Mas evite as saladinhas vendidas prontas em porções individuais do Monoprix por exemplo. Custa muito caro e tem gosto de isopor. Prefira comprar um pacote de mâche, roquette, ou salade composée em saquinho ou barquette, como na foto aí ao lado. É uma oportunidade de experimentar vegetais folhosos (a Ruth Lemos ficaria orgulhosa) diferentes, e as folhas já vêm lavadas. Acrescente uns tomatinhos cereja, compre um molho vinaigrette (nada a ver com nosso vinagrete, mas sim molho de azeite com vinagre, com ou sem mostarda), jogue uns cubinhos de queijo Salakis (queijo grego de cabra próprio pra salada, vem num vidrinho de conserva) ou Boursin Salade por cima, e mande ver!

5. Bebidas. Compre sem medo qualquer garrafa de vinho, de preferência vin rosé, que é bem leve e acompanha bem um pique-nique. Evite só o que tiver escrito “vin de table”, o resto de qualquer jeito vai ser melhor do que qualquer vinho brasileiro. Se não quiser álcool, experimente a Orangina, uma espécie de refrigerante de laranja com polpa e bem pouco gás (que não tem nada a ver com a Fanta) que eu adoro, mas muito brasileiro detesta. Vale a pena experimentar pra saber em qual time você se situa. Os refrigerantes são iguais, com exceção da Fanta que é diferente, mas de um jeito que não consigo explicar. Aproveite também que a Perrier aqui é só uma água comum, e beba o tanto que quiser sem se preocupar com o preço!

6. Queijos e frios. Infelizmente não é em nenhum Monoprix da vida que você vai encontrar os melhores queijos. Se for principiante, experimente começar com queijos não muito fortes (no sabor, não necessariamente no cheiro) como brie e camembert (cremosos) e comté (duro). Os queijos de cabra (chèvre) costumam ser fortes, e tudo que tiver a menção “bleu” vai ser mofadinho, como o roquefort. Também são bons, mas são pros mais corajosos. Experimente também outros tipos de frios como jambon cru, (d’Aoste ou de Parme)

7. Sobremesas. Você logo vai perceber a paixão dos franceses por iogurtes variados. O Carrefour aqui tem dois corredores inteiros só com iogurtes! Eu A-M-O. Só de Danette existem quase 30 sabores! Ou seja, divirta-se procurando um produto legal: os “produits laitiers” não são apenas iogurtes, mas sobremesas deliciosas. Um dos meus preferidos é o Mamie Nova, super cremoso e saboroso. Tem de vários sabores, de pistache a chocolate branco. Algo como o Häagen-Dazs dos iogurtes. O chocolat liégeois, de chocolate com chantilly, também é uma delícia. Pra ser mais light, procure uma fruta da estação, mas evite frutas tropicais, que no Brasil são muito melhores.

8. Guloseimas. Se você esqueceu de comprar um doce bem gostoso na boulangerie na hora de comprar o pão, não deixe de comprar no supermercado um pacote de Petit Écolier, um biscoitinho amanteigado com cocholate ao leite por cima, o lanche preferido da criançada. Depois dessa você nunca mais vai querer comer biscoito recheado sabor gordura trans. Outras porcarias deliciosas: Mikado, Granola, Pim’s… não vou nem descrever, já está me dando fome. Ou então uma simples barra de chocolate belga da Côte d’Or, o melhor de todos!

E finalmente, para quem quer ser farofeiro profissional, um item indispensável: a mochila térmica para pique-nique, com todos os acessórios necessários pra carregar sua farofê para 4 pessoas. Tem taça de vinho, prato, talheres… você pode encontrá-la por menos de 30€ em algumas lojas ou no site da Amazon.fr.

 

Link permanente para este artigo: http://www.viajarnafranca.com/2011/11/a-arte-de-fazer-pique-nique-na-franca-ou-os-melhores-itens-para-sua-farofe/

9 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Wagner

    Olá! Estou indo pra paris no final do mês! Ficarei por 3 meses. Valeu pelas dicas! Está tudo muito bem explicado! Acho que já li todos os posts que me interessavam! =P
    Continuarei acompanhando por lá!
    Obrigado! =**

  2. Ilma Madureira

    Olá!
    Como voce, tb gosto de sentir-me “local” e fazer certas descobertas, por isso adorei sua dica, já que tenho intençao de pazer um pic nic quando voltar a Paris (2012). Valeu!
    Merci

  3. Julie

    Ana, todas as vezes que viajo faço questão absoluta de conhecer os mercados e ficar viajando nos produtos que eles vendem, procurando os correspondentes brasileiros e olhando tudo o que há de novidades! Adorei seu post, amo mercados em Paris e sempre saio deles abarrotada de chocolates e biscoitos. Além dos queijos, que eu amo e já faço o tipo ousada, pois adoro os mofadinhos e o queijo de cabra! Quando chego no mercado aqui no Brasil e vejo que uma manteiga president custa 15 reais, tenho vontade de chorar, porque aí é tão baratinho…
    Agora essa sobremesa que você mostrou eu não conheço, mas já está na minha listinha de compras que farei em algum mercado parisiense em janeiro!!! Mas o que eu absolutamente preciso é desta mochila para fazer a sua própria farofada em parques, amei!!! Você sabe alguma loja onde eu possa encontrá-la???
    Beijos, Julie.

  4. Ana Veloso

    @Wagner – 3 meses!! Que ótimo! Dá pra fazer vários passeios em bate-e-volta também, aproveite pra passear muito!

    @Ilma – Também adoro, sempre que viajo pra um país diferente passo horas em algum supermercado, destrinchando as prateleiras e vendo as coisas diferentes. É uma diversão!

    @Julie – Eu também já sou ousada em relação aos queijos, inclusive gosto de uns bem fedorentos e fortes que nem meu marido que é francês não encara!! 😀 A mochila uma prima minha comprou no freeshop; em Paris acho que você deve encontrar na parte de bagagens da Galerie Lafayette, por exemplo, ou então na loja “Natures & Découvertes” tem bastante desse tipo de coisa. Se não achar, compre pelo site da Amazon que indiquei no post, é só calcular bem a data de entrega no seu hotel que eles geralmente são bem pontuais.

  5. Raquel

    Mmmmmm… Que vontade de fazer uma farofe com essas delícias!!!!

  6. Celso

    Ana,

    Descobri o seu blog por acaso, quando buscava informações sobre Grasse, e confesso qeu adorei o seu estilo. Show. 😉
    Quero comentar aqui e agora. Adoro a França, e planejo minha terceira viagem para maio do ano que vem. Vou á Riviera, Bordeaux e, como sempre, Paris.
    Adorei o artigo “Farofê”, pois é o qeu eu pretendo fazer em Saint Trópez, onde suspeito qeu tudo parece ser muito caro no mês de maio.
    Beijos.

  7. Palova

    Oi Ana, com certeza farei meu farofê em Paris… toh sonhando com isso…vinho, paes, queijos, uma bela vista.. ai ai…

    Que lugares bonitos vc recomendaria? Se pode fazer farofê em qualquer jardim? Nao há restricoes quanto ao álcool?

    Beijos

  8. Adriana Aguiar Ribeiro

    Oi, Ana!
    Estou virando fã de carteirinha do seu blog. Comecei a visita-lo com mais frequência pois em breve viajarei de férias para Paris, onde só estive uma vez!
    Adorei e me diverti muito com o post do farofê. Anotei algumas dicas.
    Também adoro conhecer mercados e supermercados para descobrir os hábitos do povo local.

    Obrigada pelas dicas. Bjs, Adriana

  9. Aquila Rodrigues

    Oi ana !mt legal as dicas .
    Eu e minha esposa curtimos mt a mochila termica!será mais uma compra em paris !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>